A nossa missão

«O empreendedorismo é mais do que sermos donos da nossa empresa, é, antes disso, uma atitude pro-activa perante tudo o que nos rodeia. É Querer e Saber mudar o mundo, a começar pelo nosso»

O que nos move é acreditar que podemos todos ser mais felizes e que o empreendedorismo tem um papel essencial nesse desígnio. Não a visão redutora do empreendedorismo enquanto meio para sermos donos da nossa empresa, mas o empreendedorismo como forma de estar na vida, atentos ao mundo que nos rodeia e com vontade de aplicar os nossos talentos, colocando-os ao serviço de propósitos que contribuam para um mundo melhor. Isso sim, funciona como multiplicador de momentos de felicidade.

Acreditamos também que a felicidade está intimamente ligada à realização do nosso talento e de todo o nosso potencial enquanto seres individuais. Dificilmente alguém vive sem objectivos. Sem desafios colocados a nós próprios somos apenas sobreviventes que, de vez em quando, e apenas por iniciativa e mérito de outros, temos a sorte de sermos felizes, como o adepto cuja única fonte de felicidade são as vitórias do seu clube, para as quais nada contribuiu. Por oposição, acreditamos que cada um deve querer e saber criar as suas próprias fontes de felicidade, e deve encontrá-las no mesmo baú onde se encontram também os seus talentos, os seus gostos, as suas paixões e aquilo que o emociona.

Se quisermos resumir o porquê de desenvolvermos programas de empreendedorismo para crianças, poderíamos dizer que o fazemos para que menos crianças cheguem a adultos conformados com o emprego de que não gostam e a viver uma vida que não é a sua. Ou, pela positiva, porque queremos que mais crianças cheguem a adultos e possam fazer aquilo de que gostam e viver de uma forma mais plena a sua vida, os seus talentos e as suas paixões.

É possível que venham a tornar-se «donos das suas empresas». Esse é um dos destinos possíveis, mas não o único. A felicidade tem muitos rostos, tantos quantos a humanidade.

Dirão alguns que, muitas vezes, a fazer o que se gosta não se consegue ganhar a vida. Essa é, porém, uma das armadilhas mais bem montadas de todos os tempos. Com criatividade, com técnica e com vontade, é possível, como teremos oportunidade de ver, sustentar qualquer atividade. Para o conseguir, um dos factores determinantes é que essa seja a atividade de que realmente gostamos , aquela pela qual nos apaixonámos e que nos permite usar o nosso verdadeiro talento. Desistir dessa paixão é o caminho mais fácil, e também mais curto, mas é também o caminho que não nos leva aonde queremos ir.

Dar às crianças, jovens e adultos, competências para que possam, de forma mais eficaz, perseguir os seus sonhos é, claramente, o nosso propósito.

Formula1

Para a apresentar recorremos a três personagens.

O Queixinhas

O Queixinhas é um rapaz cheio de qualidades mas com grande dificuldade em passar dos problemas. Cada vez que se depara com um ele resmunga, reclama, protesta, mas sem consequência.

A Buéblabá

A Bueblablá é uma menina divertida e espontânea, tem facilidade em identificar problemas mas é particularmente brilhante a mobilizar meio mundo em busca de soluções. Gerar ideias é com ela. Mas quando chega a hora de as pôr em prática a coisa deixa de ser tão divertida e já não se pode contar com ela.

O Startiupi

O StartIUPI é o nosso super-heroi. Não é daqueles que voam nem dos que lançam bolas de fogo com as mãos, mas domina as sete competências do empreendedor. É por isso que ele não só identifica os problemas como também mobiliza e participa nas soluções, mas acima de tudo, contribui de forma ativa para as pôr em prática, e só assim se consegue mudar o mundo para melhor.

O Start IUPI às vezes também se engana, e falha, e tem desilusões, mas nunca desanima nem desiste de perseguir os seus sonhos e de Ser o que quer Ser. Apresente-o aos seus filhos e aos seus alunos para que façam um novo amigo.